Skip to main content

Cyber Segurança são práticas utilizadas no intuito de proteger as informações de sistemas, computadores e servidores de ataques cibernéticos e outras ameaças.
Ou seja, seu objetivo é previnir a perda e vazão de dados na web, de forma a garantir uma maior segurança das informações e confiabilidade de sites e aplicações webs.
Mas não se engane. Apesar de simples o conceito, colocá-lo em prática é bastante complicado.
De acordo com a empresa de segurança cibernética Fortinet, em 2020 o Brasil sofreu mais de 8,4 bilhões de tentativas e ameaças de ataques cibernéticos.
O número impressiona e representa mais de 20% dos casos registrados em toda a América Latina, que somaram 41 bilhões.
Isso nos mostra que, apesar de existirem diversas maneiras de se prevenir, muitas empresas não as utiliza.
E em outros casos, os ataques evoluiram ao ponto de que essas boas práticas não funcionem.
Mas então você deve estar se perguntando. E como eu faço para previnir minha empresa desses ataques?
Uma das formas mais seguras é ter um profissional de cyber segurança.

Qual a função de um profissonal de Cyber Segurança?

Esse profissional é responsável por desenvolver e executar práticas e soluções de segurança na web, além de promover testes para garantir a integridade dessas ferramentas.
Também conhecido como especialista de segurança de Tecnologia de Informação, possui a responsabilidade de monitorar os sistemas e garantir o funcionamento adequado.
Então, de forma resumida, podemos dizer que esse especialista é responsável por:
⦁ Realizar treinamentos em diferentes partes da organização para garantir a segurança da informação;
⦁ Reconhecer os pontos fracos que podem ser utilizados ​​como ponto de entrada para um ataque cibernético;
⦁ Identificar e prever riscos em sistemas e ambientes virtuais para reduzir a probabilidade de intrusões cibernéticas;
⦁ Desenvolver sistemas de proteção;
⦁ Escolher e divulgar políticas de acesso a dados e informações;
⦁ Definir, implementar e atualizar parâmetros de segurança;
⦁ Criar auditorias regulares de sistemas e ambientes virtuais;
⦁ Realizar testes de suscetibilidade e simulação de ataques cibernéticos;
Nesse mundo de cybersegurança, é comum que se confunda o analista com o especialista em cybersegurança.
Mas essas profissões são diferentes. Enquanto o especialista desenvolve ou identifica as soluções de proteção, o analista executa as medidas de segurança.

E quais seriam os requisitos básicos de um profissional de Cyber Segurança?

Se tratando de faculdade ou formação, não é necessariamente obrigatório. É necessário que o profissional tenha conhecimento em tecnologia e que possua um olhar analítico.
Outro fator que conta pontos na profissão (assim como a maioria das profissões de TI), é correr atrás de certificações da área de segurança.
Geralmente, as empresas cobram dos profissionais os seguintes conhecimentos:
⦁ Saber antecipar os riscos aos sistemas, lojas virtuais e ambientes virtuais da empresa para reduzir a probabilidade de ataques;
⦁ Detectar todas as intrusões e projetar sistemas de proteção;
⦁ Criar políticas e planos de acesso a dados e informações;
⦁ Implementar e atualizar parâmetros de segurança;
⦁ Treinar e supervisionar o trabalho da equipe de segurança cibernética;
⦁ Organizar um sistema eficiente e seguro para funcionários e terceirizados;
⦁ Verificar todas as vulnerabilidades e os defeitos que elas causam;
⦁ Efetivar auditorias regulares do sistema;
⦁ Executar avaliações de risco de redes, aplicações e sistemas;
⦁ Operar um teste de sensibilidade;
⦁ Garantir a segurança abrangente do armazenamento de dados para empresas, lojas virtuais, etc.
Como podemos ver, se tornar um profissional de Cyber Segurança não é fácil.

E quais são as práticas mais utilizadas?

Geralmente, as práticas mais utilizadas são segurança de redes, aplicativos, informações, operacionais, nuvem, terminais, educação do usuário final, continuidade dos negócios e recuperação de desastres.

Segurança de Rede

Nessa parte, o principal objetivo é proteger as redes de computadores de intrusos, independentemente se eles são invasores direcionados ou mawares.
Deve-se garantir que todos os componentes de rede da empresa estejam protegidos contra ameaças e possíveis vazamentos de informações, ou seja, costuma ser a primeira linha de defesa da organização.

Segurança de Aplicativos

O foco aqui é manter o software e os dispositivos livres de ameaças. Um aplicativo comprometido pode fornecer acesso aos dados que pretende proteger.
O sucesso da segurança começa na fase de projeto, bem antes de um programa ou dispositivo ser implantado.
É necessário encontrar e ajustar vulnerabilidades no código-fonte dos computadores, web e dispositivos móveis.

Segurança de Informações

São processos voltados para a proteção da integridade e a privacidade de dados, tanto na origem como no destino dessas informações.
A função da segurança da informação é prevenir o roubo, alteração e exclusão de dados de uma empresa.

Segurança Operacional

Nesse ponto, estamos falando dos processos e decisões para tratamento e proteção dos arquivos com dados.
As permissões que os usuários têm ao acessar uma rede e os procedimentos que determinam como e onde os dados podem ser armazenados ou compartilhados se enquadram nesta categoria.

Segurança de dados em Nuvem

Com a criação da nuvem, os dados são armazenados na web. Mas não significa necessariamente que esses dados estão protegidos.
Então é necessário garantir a integridade e segurança das aplicações de armazenamento em nuvem, assim como o monitoramento do armazenamento e transferência desses arquivos.

Segurança dos Terminais

No caso, estamos falando dos terminais de acesso. Dos dispositivos conectados a uma certa rede.
É necessário o monitoramento desses dispositivos conectados a essa rede, tanto os dispositivos corporativos quanto os pessoais, assim como a limitação dos seus acessos e a checagem dos sites utilizados.

Educação do Usuário Final

Mesmo que uma empresa possua um profissional de Cyber Segurança e os processos estejam rodando perfeitamente, é necessário que todos da empresa entendam a importância de seguir certos processos.
Por isso, é necessário educar todos os colaboradores sobre quais processos devem seguir e quais são as consequências de não seguir esses processos.

Recuperação de Desastres e Continuidade do Negócio

Imagine que houve um incidente na empresa e que o sistema foi comprometido.
Nesse nosso exemplo, a melhor forma de se recuperar desse desastre seria voltando a última versão ou o último backup dos arquivos que foram comprometidos.
Imagine que se a empresa não tiver pensado em formas de se prevenir deste desastre, o prejuízo que ela levaria.
E é exatamente disso que estamos falando. Nessa parte, entra os processos para a prevenção e recuperação de um desastre de informações dentro de uma empresa.
São muitos processos, certo?
Por isso existem diversas ferramentas que lhe auxiliam no melhor desempenho e na aplicação desses processos.
Acesse nosso site e descubra como o Conteige pode lhe auxiliar nos processos de Cyber Segurança.